h1

Mais um Causo da Solteirona – Será o fim?

junho 9, 2009

Para quem está aqui pela primeira vez, essa é a continuação, de uma “série” de Causos da Solteirona. Sugiro ler também os textos anteriores (O Causo da Solteirona e Mais um causo da Solteirona), de preferência, antes de ler esse aqui.

——————————————————

Lá estava eu, caída no chão, me sentindo a mulher mais estúpida do planeta, ou a mais azarada. Não tive coragem de levantar, apenas me ajeitei e fiquei sentada na calçada, com as mãos no rosto, me segurando para não chorar. Aquilo era infinitamente pior que qualquer tombo de bicicleta que já levei na vida.

O Meu PhD estendeu a mão para me ajudar a levantar.  Ele estava rindo da tragédia, ou da minha cara, por isso, não aceitei. Fiz bem. Logo em seguida ele abaixou e sentou do meu lado.

– Por acaso a vista daqui de baixo é mais interessante?

Contive o sorriso e fiquei alí, parada, ainda processando o ocorrido.  “Ele ainda riu de mim. É Claro. Qualquer um riria. Eu também estaria rindo se meu joelho não estivesse doendo tanto e a minha moral não estivesse a zero centímetro do chão”.

– Você se machucou?

– Não, só um pouquinho.  O joelho.

– Ah… Isso não foi nada. Vem. Você não pretende ficar nessa calçada a noite toda né? Minha casa é logo na outra rua, a gente faz um curativo em você lá.

Fosse outra a situação, já estaria imaginando o restante da noite envolvida naqueles braços, sentindo o cheiro delicioso do perfume dele enquanto dava beijinhos em seu pescoço. Mas não. Depois de tanto tempo sozinha, o primeiro cara que me chama para sua casa é para me fazer um curativo. Definitivamente, é o meu fim.

Levantei com a ajuda dele e fomos caminhando. A essa altura, eu já tinha desistido de tudo. Até das minhas fantasias. Estava mesmo condenada a ficar solteira para o resto da vida e nem com uns beijinhos casuais eu poderia contar.  “Eu sou mesmo um desastre de mulher” pensava, enquanto andava cabisbaixa e passos lentos. Ele, quieto, me acompanhava.

Chegamos a sua casa. Ele abriu o portão e me pediu para esperar no alpendre que ele traria as coisas. “Das duas uma, ou ele esconde alguma coisa, ou me acha indigna de entrar em sua casa. Certamente, é a segunda.” Corri o mais rápido que pude para o portão. Queria sair daquele lugar imediatamente e para sempre. Não queria mais vê-lo. Nunca mais. Não tive escolha. O portão estava trancado. Encostei a cabeça na parede e comecei a chorar e a silenciosamente resmungar:  “Ele não gosta de mim e ainda me faz prisioneira”.  De repete, uma mão encosta no meu ombro e ouço:

– Está doendo tanto assim?

– Está. Está sim.  Agora ainda arde. Disse, enxugando as lágrimas com a mão, sem conseguir olhar para o rosto do meu carcereiro.  (Melhor ser infantil mais uma vez que assumir o real motivo do choro)

Ele me colocou sentada em frente à porta e lavou meu machucado. Com uma mão jogava a água, e a com a outra segurava a minha mão, fazendo carinho. Já estava nervosa, e ele me tratando com tanto carinho me deixava furiosa.

– Já está bom. Disse quase ríspida, implorando o fim daquela tortura.

– Ok, deixe-me colocar o band-aid e dar um beijinho para sarar.

Acho que deixei transparecer a raiva. Afinal, como poderia aguentar um marmanjo dando beijinho no meu machucado?  É muita humilhação para uma só pessoa.

Ele colocou o curativo, me levantou, e imediatamente me segurou firme entre braços. Antes, ainda, que eu pudesse respirar, ele me deu o primeiro beijo inesquecível. Claro que não foi no joelho.

Em meio aos sininhos, ouvi-o dizer: – Quer entrar agora?

Agora sim, tudo estava perfeito. E os beijinhos no pescoço, garantidos.

Anúncios

23 comentários

  1. Adorei, não consegui parar de ler, muito bom mesmo,
    Parabens
    grande beijo


    • Adorei os causos da solteirona. Muuuuuito bom.rsrsr. Não conhecia seus dotes pra escrita. Virei sua fã. Continua, quero saber mais dessa história. Parabéns!!!!


  2. Espero que não seja o fim! Aguardo os próximos capítulos! hehe
    bjinho


  3. Nãããooo!
    Eu estou acompanhando esta sua “série”!! Continua!! =D
    Muito bom mais uma vez… Finalmente o beijo! ahhh
    hauahuAhua

    http://krids-cinetv.blogspot.com


  4. Muito bom o conto… Escreves bem, esse blog vai longe.
    Deverei adicioná-lo nos meus favoritos…
    Beijos!!!


  5. Nossa, você escreve muito bem mesmo, não dá pra parar de ler, continue por favor, que eu concerteza volto, pq realmente vale a pena. 😉


  6. hehe, gostei muito!
    Que mente criativa…

    A história em si é bem legal, li tudinho até o fim e fiquei com vontade de reler… rs

    Beijos


  7. bom, acho que ela merecia neh…rsrsrsrs
    me lembrou a Renée Zellweger em lagum filme que ela fez.. uaehueh

    ansioso pra saber o que rolou dentro dessa “prisao”

    teh


  8. Pô legal fazer essas séries.

    Vou começar a ler desde do primeiro, pra ver o que rola. Pelos comentários parece ser boa…

    Abraços


  9. Olá, muito bom o texto…você também escreve com muita paixão…parabéns.

    Olha…a foto do blog é minha sim, obrigado.

    bj
    Paulo Sidney


  10. Bem escrito, vem conduzido.
    Achoi que poderia ser mais inquietante.
    Menos “TEEN”.
    Mas acho que é estilo neh? (e porque não o bom e velho né?)

    🙂

    http://martonolympio.blogspot.com/


    • Gostei do comentário! Vou observar mais isso. Não tinha reparado, mas acho q to fugindo um pouco da personagem… minha balzaca ta mais para adolescente.. kkk


  11. Num falei que era pra fazer um seriado… mó sucesso!!! Mas o Marton tem razão com o teen, apesar de mesmo assim ser legal…
    Continuaçao pra Briget e Mark Darcy!!! Uhuuu Agora falta o Daniel Clever… rsrsrs


    • Riza, pára de comentar usando “EU”.
      Acredita que eu tive que ir procurar quem é Mark Darcy e Daniel Clever….Essas memórias só vc tem.
      Achei que o Darcy fosse de Orgulho e Preconceito.
      Mira Pensando:
      “Porque será q a Riza relacionou Briget com o Mr. Darcy de O&P? Ela ta doida… rs “


      • Ha! Eu bem sabia quem era Mark Darcy e Daniel Clever!!! hahahahaha…

        Aliás, vc provavelmente confundiu com O&P porque a autora de “O Diário de B.J” se inspirou nos clássicos da Austen, inclusive usando o mesmo nome pro mocinho da trama…


      • E o Daniel Clever tb é de algum livro da Austen?
        – A Riza me falou ontem por msn do Darcy.
        EEEEE — Acabaram-se os mosaicos azuis!!!!


  12. de novo por aqui, indo ler as outras partes,

    http://martonolympio.blogspot.com/


  13. Show de bola… ainda bem que vc avisou que tinha outras partes, diferente de alguns blogs que ja emendam os textos…

    Abraços
    Rodolfo


  14. olha
    vc escreve muito bem
    mas lendo este texto refleti que muitas vezes cai e eu não achei nenhuma garota para me fazer um curativo


  15. Nossa!

    Eu não esperava que ele fosse te beijar!
    Foi surpreendente o texto!

    E como foi ele foi elegante quando vc estava no chão
    “A vista aí embaixo é melhor”?

    Que classe e gentileza na pergunta.


    • Risos e mais risos…
      É só uma Estória. Não é verdade!!
      Sim! O PhD é um Homem muito elegante, pelo menos na minha cabeça.


  16. Juro que a solteirona me deu nos nervos nesse episódio!!! E aí eu concordo com Marton e com a Riza…

    O PhD conquistou muito mais a minha simpatia… hahahahaha…

    Tá… o mosaico azul ali do lado tb está me dando nos nervos… logo, darei dar um jeito nisso…


    • Ah. Miyuki, você tem que entender, coitada… Ela tinha acabado de passar por uma cena super constrangedora. rs
      ( Eu queria mudar o texto todo… mas ja era tarde demais. kkkkk )



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: